A Espada do Dragão

Nerdcore para as massas

Superman All Stars – A animação

Acabo de assitir a animação baseada na possível melhor HQ do Super-Homem já feita, Superman All Stars (Grandes Astros – Superman), escrita por Grant Morrison. Pra você que está por fora, a série em 12 edições mostra uma visão alternativa da mitologia do Super-Homem, tocando em temas recorrentes nessa mitologia, como a adoção consciente da condição humana pelo forasteiro Kal El, a perspectiva de um ser que está acima da humanidade e ao ínves de se aproveitar disso resolve ajudar e servir de inspiração e exemplo, o conflito com a humanidade inferiorizada diante a sua presença, aqui representada por Lex Luthor, o papel de Lois Lane nesse elo com a humanidade, entre outras.

Se você está acostumado ( e talvez nem goste) com a idéia de um (não do) super homem, melhor em tudo do que um homem normal, prepare-se para se deparar aqui com um hiper homem, um semideus capaz de quase tudo e que mesmo assim prefere e se preocupa mais com os outros do que consigo.

A animação é soberba e respeita bastante o traço de Frank Quitely. O roteiro também e bastante fiél, excetuando as compreensíveis porém sentidas omissões em relação aos quadrinhos. Recomendo fortemente não ficar somente em uma das versões. Quanto a ordem, se primeiro os quadrinhos ou a animação, puramente por cronologia eu recomendaria ler os quadrinhos primeiro. Porém, se você assistiu a animação primeiro, terá gratas surpresas com a gama de detalhes a mais que encontrará nos quadrinhos.

Superman – All Stars vem reforçar a extensa lista de longas originais que a DC e a Marvel vem trazendo para os fãs, e creio que seja um dos mais imperdivéis entre esses títulos.  Vamos torcer para que continuem assim e que outras editoras também façam adaptações tão boas quanto essa (na torcida por um bom longa de Spawn ou Wildcats…) Assista assim que possível.

PS – Sim, eu assisti na Net. Mas comprarei o DVD ou Blu-Ray assim que possível…

Anúncios

fevereiro 21, 2011 Posted by | 9ª Arte e Congêneres, AnimaMundo, Cinemateca Nerd, Filmes, Reviews | 2 Comentários

Vem aí: Besouro – O filme

Segue o trailer do filme de artes marciais Besouro. O filme conta a história do  capoeirista Besouro Mangangá, tem um orçamento estimado em R$ 10 milhões, e é dirigido por João Daniel Tikhomiroff, que apesar de ser um diretor premiado não tem nada que eu possa dizer dele que vai fazer você lembrar do cara. Pro filme trouxeram da China o coreógrafo de ação Hiuen Chiu Ku, de Matrix, O tigre e o dragão e Kill Bill.

O medo é que o roteiro é de Patrícia Andrade, de “Os 2 filhos de Francisco”. Mas é bom ver o Brasil se arriscar em estilos diferentes e sair do esquema favela e criminalidade, regionalismos geralmente nordestinos, novelas da Globo em forma de filme ou biografias diversas.

junho 24, 2009 Posted by | Cinemateca Nerd, Filmes, PreView | , | Deixe um comentário

Trilogia Senhor dos Anéis em promoção

Custa R$ 39,99 a trilogia, todos são DVD’S duplos com um monte de extras. Não sei quanto tempo vai durar. Se você fez igual a mim e esperou até hoje pra ver se  saia a versão extendida por aqui, desista, não vai acontecer. Se você não vai comprar e quer saber a história, ai vai um resumo sem spoilers:

“O anel é malvado, Golum quer ele, Sauron quer ele, Gandalf é cinza e não quer, Bilbo tem o anel, Bilbo dá o anel pra Frodo, Frodo não quer, Frodo não quer, Frodo quer, muitas confusões, elfa gostosa, rei doidão,Gandalf usa Omo Multi Ação, Frodo chega em Mordor pra queimar o anel, paz na Terra Média.”

FIM

maio 23, 2009 Posted by | Cinemateca Nerd, Filmes, Nerdcore, Promoções... | | 4 Comentários

Watchmen – o Filme

Sei que estou devendo uma dezena de filmes do “3 Filmes por Semana”, mas vou pagar em breve, sei exatamente quantos devo, e são muitos.

Mas hoje eu vim falar sobre Watchmen, seja pra ser mais uma resenha perdida na Net, seja pra reforçar a gama de opiniões que estão pipocando por aí.

Pra que você não precise ler até lá no final em suspense, digo logo: o filme é bom, muito bom. Nem preciso me estender naquele papo que o cinema e os quadrinhos são mídias diferentes, que concessões tem que ser feitas, mas é isso. Foi uma adaptação muito bem feita e muito dos temores dos fãs (fãs de quadrinhos normais, não fãs xiitas, que esses vão odiar) não se confirmaram. e eu acho imprescindível que você leia a HQ, seja antes ou depois de ver o filme.

De um modo geral está tudo lá, mesmo que em menos de três horas. A ambientação está muito fiel, e a fotografia ajudou bastante. As roupas modernizadas, ao final, se mostraram um problema muito menor do que pareciam. Alguns pontos da história tiveram que ser retirados ou adaptados pra que a compreensão ficasse mais fácil, mas nada muito medonho. Apesar que, tive a sensação em um ou dois pontos que a retirada de certas passagens ou citações contribuíram mais para a não-compreensão da mensagem da obra do que o contrário. é o caso da controversa cena entre o Comediante e a primeira Espectral, logo após a reunião dos Minutemen. A exclusão de uma frase da personagem ali retirou muita informação sobre a cena e sua importância na trama.

Os personagens estão muito bem caracterizados, com destaque para o Coruja e o Rorschach. No entanto, alguns dos cortes acabaram deixando personagens bem mais rasos do que são, e os principais afetados foram o dr. Manhatan e a Espectral. O resumo monstro do monologo do primeiro em marte, junto a seu flashback que também foi deverás sintetizado faz com que a personagem seja muito menos entendida do que deveria. e as relações conturbadas da Espectral, seja com sua mãe, com o Dr. Manhatan, com o Coruja e até com o Comediante passam quase despercebidas, apagando a personagem.

E dando ainda mais destaque ao velho Rorschach, magistralmente caracterizado, mesmo que também tenha sofrido com certas concessões, como na sua origem ou na sua relação com o psiquiatra da prisão.

Ozymandias eu já não achava tão interessante na HQ, e acabou ficando menos ainda no filme.

E eu queria não cair no cliche de falar da beleza e sensualidade da Espectral, mas Malin Akerman em látex fará parte de meus devaneios nerds eternamente à partir de agora…

A necessidade de fazer um filme de super-heróis nos apresenta a algumas cenas de luta forçadas e desnecessárias. Dentre estas, so mesmo a luta de Espectral e Coruja contra a gangue dos coques se destaca.

A trilha sonora me agradou bastante, com música remetendo a época em que o filme acontece. Só achei “Hallelujah” desnecessária, além de uma tremenda sacanagem com o camarada Coruja.

E o famigerado final diferente, apesar de ficar muito aquém do final das HQ’S, funcionou bem para a tela. Apesar de que, se você começar a pensar demais nele, vai acabar achando que não foi uma solução tão inteligente assim, que provavelmente tem muito mais possibilidades de voltar ao ponto inicial do que o final verdadeiro. Mas se você parar mesmo pra pensar, sabe que poderia ter sido bem pior.

Tudo isso faz de Watchmen, uma das mais difíceis adaptações de quadrinhos pra cinema que poderiam existir, uma das melhores. Quem diria.

Se você quer ler sobre o jogo dos Watchmen, que fará Alan Moore ter comichão na barba, clique aqui.

março 8, 2009 Posted by | 9ª Arte e Congêneres, Cinemateca Nerd, Filmes, Reviews | | 4 Comentários

Dia triste. Morre Sho ‘Nuff , o shogum do Harlem.

Peço 1 minuto de silêncio e 24 horas de luto. Morreu o Shogun do Harlem. Copiei a notícia e a imagem do Omelete por que to com preguiça de escrever:

“Morre Julius Carry III, o shogun do Harlem do filme O Último Dragão

Ator tinha 56 anos e trabalhou mais na TV, mas será sempre lembrado como Sho ‘Nuff

Morreu na última terça-feira, aos 56 anos, o ator Julius Carry III. As circunstâncias ainda não foram divulgadas.

Natural da cidade de Chicago, do alto dos seus 1,96m de altura, Carry estreou no cinema em 1979 e participou de diversas séries de TV, como Doctor Doctor, Murphy Brown e The District. Seu último trabalho foi no episódio nove da primeira temporada de The Unit, em 2006.

Julius Carry é mais conhecido, porém, como Sho ‘Nuff, o shogun do Harlem, do filme O Último Dragão (The Last Dragon, 1985). Era apenas o seu terceiro trabalho no cinema – depois ficar de 1980 a 1984 só atuando na televisão – e uma geração inteira se lembrará do vilão com os braços cruzados e as garras reluzentes que ensina ao herói “Bruce” Leroy quem é o mestre de verdade.”

“QUEM É O MESTRE, LEROY?”

agosto 22, 2008 Posted by | Cinemateca Nerd, Espada News!, Filmes, Geek | , | Deixe um comentário

Filme dos Thundercats

Esqueçam Batman-Dark Knight (aquele filme do Coringa onde o Batman faz uma ponta), Hulk (aquele igual ao primeiro) ou IronMan. O grande barato é esse filme dos Thundercats.

Hooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!

E tem mais Thundercats no Warpzona!

julho 27, 2008 Posted by | Bem Humor, Filmes | | 1 Comentário

L’Animateur- The Animator- Der Trickzeichner- O Animador

Animação soberba e emocionante.

julho 1, 2008 Posted by | AnimaMundo, Artes, Filmes, Vídeos | | 3 Comentários

Animes e Mangás na Globo

Passou no Jornal da Globo em 10/06/2008, é uma matéria sobre Mangá e Anime que faz parte de uma série sobre a cultura japonesa, aproveitando o centenário da imigração.

Impressionantemente, foram poucos as informações erradas e no geral, os clichês foram suaves.

Matéria muito bem produzida e editada, consegue sintetizar, e bem, o universo em volta do mangá, falando de origens, anime, oscar, cosplays e até fanzines. Só faltou o videogame.

Agradecimenos ao Léo Ikari pelo vídeo.

junho 14, 2008 Posted by | AnimaMundo, Artes, Cinemateca Nerd, Filmes, Multi-Mídias, Nerdcore, Vídeos | , , , , | 1 Comentário

Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal

Após longos meses sem ir a um cinema, verdadeiro martírio para um bom nerd, consegui me apertar um pouquinho para ver o quarto filme do velho Indy, e saber o que o tio Spielberg tinha aprontado para nós, e não me decepcionei. O testo abaixo pode conter algum spoiler leve, mas tentarei ser o mínimo revelador possível. Se tem uma dica que eu posso dar antes de você assistir Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal, esta dica é, assista pelo menos o primeiro filme antes, e se possível a trilogia. Mesmo após longos dezenove anos, tio Spielberg lembrou de espalhar muitas referências por esse quarto capítulo.

Aposto que muitas pessoas vão sair da sala de cinema achando que o filme foi exagerado, e foi mesmo. Na minha opinião esse filme foi tudo o que Spielberg sempre quis fazer mas os efeitos especiais da época não deixavam… Mas ele é a síntese de um Indiana Jones: Vilões interessantes e carismáticos, templos cheios de armadilha, cenas engraçadas e surreais, cobras e chicotes.

A bola da vez são as caveiras de cristal, que realmente existem no mundo, e o que da aquele tom de verossimilhança ao roteiro (ah tá!), e teriam ligações obvias com fenômenos que eu deixarei que você veja, pra evitar um possível spoiler que você já deve saber.

A introdução do seu mais novo heroi , Mutt Jones ( esperem por Mutt Jones e a Arca de Noé, ou coisa parecida… ) é boa, e o rapazinho Shia LaBeouf se saiu bem melhor aqui do que em Transformers (aquela bomba), e pode até segurar a franquia por mais alguns filmes, visto que Harrison Ford sempre pode fazer o papel de um Indiana aposentado, servindo de tutor e apoio ao mais novo arqueólogo-ninja. Ele não tem chapéu, mas tem seu próprio trejeito. Ele não tem chicote, mas tem sua própria arma preferida (não, não é a faca). Ele não é “Indiana”, mas é um Jones. Quem sabe funcione. Aposto três dinares.

As mulheres do filme foram duas escolhas acertadas. Uma é uma vilã que você espera que dure até o fim do filme, pois o arquétipo dela é muito interessante e convincente. A outra é uma velha conhecida, e , das Indy Girls, é a minha preferida. A que tem mais sinergia com o herói. Tanto que… deixa pra lá.

Junte a isso ação frenética, auxiliada por terabytes de efeitos especiais, locações variadas, incluindo o Brasil (aliás, Hulk também está vindo por aqui, em breve), muitas piadinhas e um Indy que, embora 19 anos envelhecido (ainda bem que respeitaram isso!) ainda consegue dar muita pirueta e chicotada, temos um filme que faz juz a franquia e pode fechar com chave de ouro a fase Indy da franquia…

…por que Mutt Jones vem aí!

maio 22, 2008 Posted by | Cinemateca Nerd, DUPPERLINKS!, Filmes, Nerdcore, Reviews | , | Deixe um comentário

Filmes Infantis = Filmes Imbecis?

O maior problema para quem faz produtos voltados para crianças, sejam filmes, músicas, livros ou desenhos, é subestimar a inteligência infantil. Musicas repetitivas e ruins são repassadas as crianças que preferem o apelo fácil de um “Creu” ou coisa que o valha, visto que as músicas a elas destinadas não são atraentes. Multidões de crianças reféns de Harry Potter[bb], visto que não lhes restam maiores opções. Dezenas de desenhos como o novo Pica-Pau ou Bratz para cada Padrinhos Mágicos[bb] ou Avatar[bb]. E os filmes? Filmes semi-retardados infestam as prateleiras das lojas e as sessões da tarde, todos querendo lobotomizar os enfants… Mostrarei abaixo exemplos de como um produto voltado para crianças pode ser divertido, educativo, sem menosprezar o intelecto da petizada… pratos cheios para um nerd em formação:

Os Goonies[bb]

Clássico supremo e absoluto. Fala de amizade, fala de superação, fala sobre a diversidade e o preconceito, por menos que você note isso. E ainda é uma declaração àquela fase onde você não é nem criança, nem adolescente. Uma fase confusa que é muito melhor assimilada com a ajuda de um amigo que mexe a orelha, um tesouro pirata e muito chocolate.

Babe – Um porquinho atrapalhado

Temos vários exemplos de filmes com animais: As aventuras (?) de Chatram, A incrível Jornada 1, 2 e 3, Stuart Little, Um Ratinho Encrenqueiro, e poucas são as que se salvam. Dentre esses últimas (os que se salvam) , tenho que colocar Babe, e sei que muitos vão discordar de mim. Porém eu acho Babe um dos exemplos mais honestos de uma fábula que funciona: O protagonista é esperançoso sem ser ridículo, e terno naturalmente, sem aquela ternura forçada. As piadas são amenas , a história é simples, contada como um livro, e os valores básicos estão lá, porém não são esfregados na sua cara. O filme é todo assim, suave, agradável. Babe é um filme igual a Curtindo a Vida Adoidado. Sempre que passa, eu assisto. Se você sempre teve preconceito, de uma chance. Pena que a continuação ficou totalmente aquem do predecessor.

Os Saltimbancos Trapalhões[bb]

Citei esse por ser o melhor filme dos Trapalhões de todos os tempos, mas poderia ter citado aqui O Cangaceiro Trapalhão, ou qualquer outro anterior a Os Trapalhões no Auto da Compadecida (esse incluso, claro!), antes de começarem a ser dirigidos por José Alvarenga (a maioria era dirigido por Dedé) e também antes de serem abalados pela fissão que atingiu o grupo posteriormente. O humor anárquico , incorreto e mambembe dos Trapalhões[bb] , conseguia ser puro e malicioso ao mesmo tempo, agradando crianças e adultos, e a química entre os quatro estereótipos totalmente diferentes, além de ser genuinamente nacional e voltada a nossa realidade, contrariava todas as expectativas e dava mais do que certo.

PS – Gostei desse post para a infância. Devo fazer mais alguns, sobre livros, músicas e desenhos, e também sobre as melhores coisas que os nerdzinhos tem hoje. Afinal, nerd se cria desde pequeno. O que vocês acham?

maio 12, 2008 Posted by | Bem Humor, Cinemateca Nerd, Filmes, Internet, Matérias, Multi-Mídias, Nerdcore, Reviews | | 1 Comentário