A Espada do Dragão

Nerdcore para as massas

Homenagem a Beto Carrero

Morre mais um herói da infância. Beto Carrero ( não era Beto CarreIro ) morreu na madrugada do dia 31 de janeiro. Mais detalhes aqui.

Nas sábias palavras do amigo Retrogamer:

“Betô Carrerô! txurunpiun péumtxurunrunuéun!”

fevereiro 1, 2008 Posted by | Espada News!, História, Internet, Matérias, Multi-Mídias | 1 Comentário

Review: 300 ou Eu sou é Esparta!

Finalmente consegui assistir o 3oo, filme baseado na HQ do mesmo nome de Frank Miller. Minha sincera opinião? Adorei o filme, e me deu ate medo de ter nascido por lá. Explico: nascer em Esparta não era bolinho não! Mas deixemos isso para o final e voltemos a película:

300 vem contar a história do rei Leônidas e de como ele “venceu” a batalha das Termópilas, mesmo sem ter detido a invasão Persa, representada pelo rei Xerxes (que se você não sabe, foi representado pelo novo queridinho de HolyWood, Rodrigo Santoro).

O filme é de um primor técnico a toda prova. Altissíma definição, sem nenhum compromisso com a realidade e todo com a beleza plástica, feito para os filhos da geração Playstation, High Definition e afins. Cenas de batalha memoraveis, com muito sangue digitalizado para espirrar plasticamente correto. Figurino (?) bem cuidado, com músculos melhorados digitalmente, capas que balançam como deveriam balançar num mundo perfeito e um Rodrigo Santoro Seminu de três metros irreconhecível. Efeitos sonoros em compasso com a ação, trilha épica como já é esperado em filmes do mesmo estilo.

As partes que tinham que ser parecidas com o quadrinho estão muito parecidas, e as partes que foram acrescentadas , na minha opinião, ajudam. Muitos criticam o aumento da participação da rainha Gorgó(stosa!) na história, mas eu particularmente achei a side-story dela muito bem vinda, e lendo um pouco mais descobri que aquele era um recurso comum as mulheres Espartanas.

Alguns estão acusando o filme de ser homofóbico: se você assistia os Trapalhões e não via maldade nas piadas que Didi soltava usando o homossexualismo como base (e que foi obrigado a parar e se retratar , absurdo!) você não vai achar isso. Também dizem que incentiva a guerra. Mas se for assim, todo filme com guerra incentiva , certo? É por que os Espartanos gostam da coisa? Bem, mas a sociedade Espartana devia ser assim mesmo, afinal, era pra isso que viviam.

No balanço geral dou 9/10 para o filme, por que li a HQ antes e acho que as vezes ele vai longe demais em incluir novos recursos, e acabou esquecendo alguns. Mas uma das maiores qualidade foi me incentivar a correr atrás de mais detalhes sobre Esparta.

Você sabia, por exemplo, que quase a totalidade de fatos mostrados no filme ocorreu mesmo, apesar de, obviamente estar totalmente romanceada , exagerada e fantasiada no filme? Sabia que o traidor Elfiates na verdade era um pastor? Que a maioria das frases de efeito do “Leão de Esparta” possivelmente foram mesmo pronunciadas? E se você achou o Agogê cruel, você ainda não viu como eles treinavam as jovens para serem reprodutoras de guerreiros… Que a Batalha das Termópilas fazia parte das Guerras Médicas, um evento maior? Que história de Xerxes é muito rica, e começa com o seu apenas citado pai Dário, que fez grandes avanços no que conhecemos por direitos humanos?

Pois é, gente, cinema, cultura pop e wikipédia também são cultura! Recomendo que assistam esse ótimo filme num bom cinema, e que depois procurem ler mais, nem que sejam apenas essas páginas pouco confiáveis da wiki… e agora da licença que vai passar Tróia no SBT, que eu ainda não vi e tenho que fazer uma pesquisa pra ver o que é baseado em realidade e o que não é nele…

HAAAAAARRRRRÚÚÚÚÚ

abril 8, 2007 Posted by | Cinemateca Nerd, Filmes, História, Reviews | 10 Comentários